Corumbá - Concessões S.A.

Voltar Ambiental 26.06.2020 - 10:50

Colaboradores da UHE Corumbá IV participam de curso sobre práticas ambientais de prevenção à Covid-19

Higiene pessoal e coletiva no ambiente de trabalho foi o foco do curso, realizado por videoconferência

A Corumbá Concessões, gestora da Usina Hidrelétrica de Corumbá IV, realizou, em 15 de junho, por videoconferência, o Curso Peat (Programa de Educação Ambiental do Trabalhador) sobre o tema: “As práticas ambientais no combate à Covid-19 e outras doenças”, com foco na higiene pessoal e coletiva no ambiente de trabalho. Colaboradores da Usina e do escritório participaram do curso, que teve como palestrantes as enfermeiras Nathane Cunha e Edivana Ladir Sipp, de Luziânia (GO).

O objetivo foi reunir os funcionários para aprenderem juntos sobre a Covid-19 – histórico da pandemia, formas de transmissão, cuidados protetivos, entre outras informações. “As palestrantes convidadas trouxeram muitas informações úteis sobre o assunto e nós tivemos a oportunidade, também, de avaliar se os nossos novos hábitos de higiene, individualmente e no coletivo, estão corretos”, disse a analista ambiental, Marinez Caetano de Castro.

Medidas adotadas

A Corumbá Concessões adotou uma série de medidas para proteger os colaboradores e seus familiares, por extensão. Num primeiro momento, todos passaram a trabalhar em home office, com algumas exceções para os técnicos de operação da Usina. Desde meados de maio, os colaboradores retornaram aos seus postos, seguindo exigências de distanciamento das mesas de trabalho, uso de máscaras e álcool em gel. Além disso, a companhia disponibilizou termômetros digitais para medir a temperatura dos colaboradores no começo do expediente, e substituiu as torneiras dos banheiros pelo modelo de acionamento automático.

Para o presidente da Corumbá Concessões, Marcelo Siqueira Mendes, o diferencial deste curso foi trazer para o dia a dia dos colaboradores informações detalhadas sobre higiene pessoal e sobre o comportamento do vírus nos equipamentos e no ambiente de trabalho. “Nós fazemos parte do ecossistema e esta interdependência foi muito bem trabalhada no curso, sedimentando na consciência de todos a importância do aprendizado, que será, com certeza, multiplicado na comunidade, fora do local de trabalho”, completou.

Histórico da pandemia

A enfermeira Nathane Cunha, especialista em Saúde da Família, com ênfase na Atenção Integral à Saúde da População do Campo, da Floresta e das Águas, explicou sobre a origem da pandemia, a forma como o vírus se espalhou pelo mundo, e ressaltou a relação direta da doença com o meio ambiente: “Tudo o que temos para o nosso bem estar sai da natureza, como a água que consumimos e que é utilizada para a geração de energia elétrica, por exemplo. Mas quando os recursos naturais são degradados, perdemos o suporte à vida.”

Para ela, “interdependência” é a palavra-chave na relação entre o ser humano e a natureza, no aspecto da preservação da fauna e da flora. Nathane lembrou que o provável início da disseminação do coronavírus se deu nas feiras livres da cidade chinesa Wuhan, onde animais de várias espécies são vendidos, muitas vezes vivos, e sem controle sanitário. A principal mensagem da sua palestra foi o respeito aos animais, que vivem em seus habitats, cada um com suas especificidades. “Mas ao invadimos o espaço deles, ficamos sujeitos a ser contaminados. Quando os vírus presentes em animais contaminam o ser humano, eles sofrem uma mutação e se tornam mais fortes dentro do novo hospedeiro, seja homem ou bicho”, explicou.

Em sua palestra, Edivana Sipp – enfermeira chefe do Hospital Santa Luzia, em Luziânia -, orientou os colaboradores no sentido de visualizarem as áreas de risco em seus ambientes – na usina, no escritório e em suas casas – e falou sobre os cuidados de higiene a serem tomados. Ela mostrou, ainda, um quadro sobre o tempo de duração do vírus em cada tipo de superfície (veja quadro abaixo), como madeira, tecido, vidro, metal e papel e enfatizou a importância de seguir rigorosamente as medidas de higiene, como lavar bem e com frequência as mãos, intercalando com o uso de álcool em gel, sempre que entrar e sair de ambientes.

“Esses cuidados são importantes, pois a cada espirro de uma pessoa contaminada, o vírus permanece no ar durante três horas até cair numa superfície; cada espirro ou tosse eliminam três mil gotículas de saliva e cada gotícula carrega 50 vírus, significando uma carga viral de 150 mil vírus”, informou. Edivana disse ainda que é obrigação do funcionário de qualquer empresa, informar à direção sempre que tiver contato com alguém doente com o coronavírus, especialmente na família, para que ele seja colocado em isolamento, fora do trabalho.

“Iniciativas como a da Corumbá Concessões de promover o curso sobre as práticas ambientais de combate à Covid-19 são muito importantes e necessárias nas empresas, em geral. É um sinal de que elas estão deixando de olhar para os seus colaboradores apenas como uma mão de obra e passando a vê-los como pessoas”, comentou Nathane Cunha. Ela destacou que todas as pessoas no mundo ainda estão se acostumando ao “novo normal” e, na sua avaliação dos trabalhos e interação dos colaboradores,  ela percebeu que a companhia está se adaptando bem às novas exigências e buscando atualizar as informações para melhor fazer a prevenção da doença.

Para a gerente de Recursos Humanos da Corumbá Concessões, Michele Monteiro, a pandemia pegou a todos, no mundo inteiro, despreparados. “Conosco não foi diferente, tivemos que estabelecer e administrar novas normas de trabalho, acompanhando o comportamento e as condições de saúde, através da medição da temperatura corporal diária e do diálogo com cada um”, disse. Michele observou que a preocupação com a prevenção ao coronavírus é de ambas as partes, “todos com o pensamento solidário de cuidar do bem estar do próximo.”

CORONAVÍRUS Persistência da Covid-19 em diferentes superfícies Superfície Tempo máximo de viabilidade Aerossol 3h Plástico Até 72h e até 9 dias Aço inoxidável Até 72h Cobre 4h Papelão 24h Alumínio 2h Metal 5 dias Madeira 4 dias Papel 5 dias Vidro 5 dias Luva (Látex) 8h Avental descartável 2 dias Cerâmica 5 dias     Fonte: Secretaria de Saúde de Goiânia

Ana Lúcia dos Guaranys

Assessoria de Comunicação da Corumbá Concessões

16/06/2020

© 2020, Corumbá Concessões S.A. Todos os direitos reservados.