Corumbá - Concessões S.A.

Corumbá Concessões
Voltar Socioambiental 10.02.2017 - 10:37

Transformação caseira de carne suína é tema de curso em Pontezinha

Linguiça calabreza, salaminho italiano, torresmo à pururuca e lombo defumado são alguns dos pratos muito apreciados da culinária brasileira, mas que não precisam mais ser comprados no supermercado. Isso vale, pelo menos, para os participantes do curso de transformação artesanal de carne suína, moradores da comunidade Pontezinha, em Santo Antônio do Descoberto, de 14 a 16 de julho. O curso, ministrado pelo zootecnista e instrutor do Senar Goiás (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), Ângelo Magalhães, foi uma parceria entre o a instituição e o Programa de Educação Ambiental (PEA) da Corumbá Concessões S.A. e teve como objetivo capacitar os moradores na produção caseira de insumos para consumo familiar, transformação primária e comercialização – do abate do animal à fabricação de derivados do porco.

Para Ângelo Magalhães, o primeiro fator que agrega valor à qualidade e preço do produto são os cuidados com a higiene do local e das pessoas que vão manusear a carne, que devem se preocupar com equipamentos necessários, como botas de plástico, aventais, luvas e tocas, além dos cuidados para embalar e acondicionar os alimentos. É preciso, também, saber sobre as condições sanitárias do animal, reconhecendo, por exemplo, quando ele está infestado por tênia solium (solitária). Nesse caso, explicou, não adianta retirar a parte contaminada, mas descartar toda a carne.

Considerando a grande demanda por sub-produtos defumados, que têm valor e demandas maiores no mercado que as peças convencionais, com a produção artesanal da carne suína, o pequeno produtor pode triplicar o valor investido no animal. O instrutor ressaltou que o processo de defumação de carne suína é artesanal e sem química. Como para comercializar os produtos em supermercados é exigido o certificado de inspeção municipal, estadual ou federal, o que pode ser mais complicado para pequenos produtores, como os moradores de Pontezinha, o instrutor recomendou que os participantes do curso se organizem em cooperativas para conseguirem maior lucro. “Nessa condição, eles farão um investimento maior, poderão elaborar um projeto e receber subsídio do governo”, disse Magalhães.

Para a dona de casa Raquel Pereira Braga, o curso veio atender a um desejo antigo. “É a terceira vez que participo de curso de produção de alimentos e gostei de aprender tudo, da linguiça ao bacon. Vou colocar os ensinamentos em prática primeiro na alimentação da família e depois vou ver como faço para vender”, disse. Ilma Francisca Pereira foi outra aluna satisfeita: “Eu achei tudo gratificante, a começar pela prática do abate, que antes do curso fazíamos de forma errada. Aprendi as novas técnicas e vou replicar em casa, principalmente a produção de linguiça defumada frescal (que tem o jiló como tempero diferencial), que foi o que mais gostei”.

Entre os alunos, participaram três pessoas de Alexânia. Alberto José Marques, presidente do Sindicato Rural de Alexânia, avaliou como “muito interessante” a atividade. “O curso proporcionou à comunidade aprendizado sobre o processamento da carne suína, com higiene e tecnologia, agregando mais valor à renda familiar”. Outro morador do município vizinho, Welson Antônio da Silva, elogiou e agradeceu à Corumbá Concessões pela iniciativa: “Foram três dias maravilhosos quando aprendemos, a produzir um alimento saudável, em primeiro lugar, para a nossa família”. Ele disse que pretende investir, em breve, no negócio de carne suína.

 

Julho/2016

 

Ana Guaranys – Assessora de Comunicação – Corumbá Concessões

(61) 3462-5237 // comunicacao@corumba4.com.br

© 2017, Corumbá Concessões S.A. Todos os direitos reservados.